SELO BLOG FM (4)

Categoria: Economia

Mossoró tem diesel mais caro que gasolina, diz pesquisa da ANP

POSTO DE COMBUSTÍVEL.FOTO-REPORDUÇÃO

A pesquisa semanal da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) divulgada neste sábado (25) revela que a média de preço do diesel S10 chega a ser maior que o preço da gasolina comum em Mossoró/RN. Segundo a pesquisa o preço médio da gasolina comum chega a R$ 7,76 por litro enquanto que o diesel S10 está custando em média R$ 7,83 por litro. Ainda de acordo com os dados pesquisados na última terça (21) o preço da gasolina em Mossoró tem uma variação entre R$ 7,54 e R$ 7,89 em mais de 16 postos visitados.

Já o diesel S10 registrou uma variação entre R$ 7,26 e R$ 7,89. Uma diferença de mais de 0,60 centavos no litro do combustível o que pode representar uma diferença de cerca de 9% de um posto para outro. Para se ter uma ideia para encher o tanque de uma caminhonete de 80 litros o consumidor mossoroense pode gastar de R$ 580,00 a R$ 630,00, uma economia que pode chegar a mais de R$ 50 em um tanque.

COM INFORAMÇÕES DO PORTAL FUTURO

GDF quer criar nova lei do IPTU. Saiba como pode afetar seu bolso

CARNÊ IPTU. FOTO- VINICIUS SCHMIDT/METROPOLES

O Governo do Distrito Federal enviou à Câmara Legislativa (CLDF) um projeto de lei que visa regulamentar a cobrança do Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana (IPTU). A ideia, segundo o Poder Executivo, é modernizar a legislação, atualmente regulada por um decreto-lei publicado em 1966.

São 28 artigos que tratam das alíquotas, do cadastro imobiliário fiscal, das penalidades, entre outros assuntos. “A proposta procura consolidar, em uma única norma, toda matéria que envolve o imposto. Apenas sistematiza a legislação e a coloca em consonância com os novos entendimentos jurisprudenciais do STF e STJ”, detalha o subsecretário da Receita do DF, Florisberto Fernandes da Silva.

A principal mudança que pode afetar os bolsos dos brasilienses consiste na cobrança do imposto dentro do próprio exercício. Isso significa dizer que, no momento em que houver ampliação de zona urbana, por exemplo, o contribuinte deverá pagar o IPTU proporcional aos meses em que esteve beneficiado.

A nova lei estabelece critérios mais claros para que determinado território seja considerado zona urbana. É necessário ter pelo menos dois entre os seguintes melhoramentos: presença de meio-fio ou calçamento, com canalização de águas pluviais; abastecimento de água; sistema de esgotos sanitários; rede de iluminação pública, com ou sem posteamento para distribuição domiciliar; e escola primária ou posto de saúde a uma distância máxima de três quilômetros do imóvel.

Metrópoles

ANP: Diesel fica mais caro que gasolina pela primeira vez desde início da série histórica, em 2004

FOTO: ILUSTRAÇÃO

O preço do litro do diesel passou pela primeira vez o da gasolina, segundo levantamento da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) divulgado nesta sexta-feira, 24, refletindo a alta dos preços internacionais dos combustíveis, que fizeram a Petrobras reajustar o diesel em 14,2% e a gasolina em 5,2%, no último dia 18.

O preço médio do diesel nos postos de abastecimento em todo o território nacional atingiu, na semana de 19 a 25 de junho o preço de R$ 7,568/litro, enquanto o preço médio da gasolina ficou em R$ 7,390/litro. O valor mais alto do diesel foi encontrado a R$ 8,850/litro no Acre, e o mais baixo a R$6,290/litro no Rio de Janeiro.

A alta em relação à semana anterior foi de 9,6% no caso do diesel e de 2,2% na gasolina.

O diesel tem sido mais disputado no mercado global e a previsão é de que a partir do segundo semestre os preços sejam ainda maiores, por causa da substituição do gás russo da Europa pelo combustível, após as sanções impostas à Rússia pela invasão na Ucrânia. Também a partir de julho começam as férias de verão no hemisfério norte, que aumentam a demanda também da gasolina, e os furacões nos Estados Unidos, fenômeno que interrompe por muitas vezes a produção do Golfo do México.

No mercado interno, porém, o governo tenta segurar possíveis futuras altas, trocando mais uma vez o comando da Petrobras. Nesta sexta-feira, o Comitê de Elegibilidade da estatal está reunido para avaliar o nome de Caio Paes de Andrade para a presidência da empresa, que deve ser homologado na segunda-feira pelo Conselho de Administração.

Mesmo antes do aumento, o preço do diesel nas bombas dos postos já era criticado pelos caminhoneiros, que no segundo semestre aumentam o consumo do combustível por causa do transporte da safra agrícola.

Estadão

Pesquisa de preço de combustível em Natal identifica postos com reajuste

PESQUISA DE PREÇO DE COMBUSTÍVEL IDENTIFICA POSTOS COM REAJUSTE AO CONSUMIDOR. FOTO: ALESSANDRO MARQUES

O Instituto Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon Natal) realizou pesquisa de preço dos combustíveis na cidade de Natal, no último dia 21, e encontrou um aumento para o consumidor nas bombas de 6,29% para a gasolina comum e 6,95% para o diesel. A Petrobras anunciou aumento para os combustíveis na sexta-feira, 17 de junho de 2022, nas refinarias de 5,18%, passando de R$ 3,86 para R$ 4,06 por litro, já o diesel o reajuste foi de R$ 4,91 para 5,61por litro, alta de 14,26%.

Para Petrobras o custo ao consumidor considerando a mistura obrigatória de 73% de gasolina A e 27% de etanol anidro composição para comercialização nos postos, o preço ao consumidor passará de R$ 2,81 em média, para R$ 2,96 a cada litro vendido nas bombas, ou seja, um aumento de R$ 0,15 por litro. No diesel a mistura obrigatória para comercialização nas bombas é de 90% de diesel A e 10% de biodiesel, sendo a parcela da Petrobras para o consumidor passará de R$ 4,42 em média para R$ 5,05, a cada litro na bomba, ou seja, um reajuste de R$ 0,63 centavos por litro.

Para o consumidor de natalense o custo nas bombas de acordo com a pesquisa do Procon Natal foi de R$ 0,40 centavos por litro de gasolina, uma vez que o preço médio da pesquisa realizada em maio foi de R$ 7,51, e para o diesel o custo foi maior de R$ 0,49 centavos por litro, uma vez que na pesquisa anterior o preço médio desse combustível foi de R$ 7,17.

O Núcleo de pesquisa, setor responsável pela análise dos dados pesquisados, realiza pesquisa mensalmente em 84 (oitenta e quatro) postos de gasolina na cidade do Natal, contemplando as quatro regiões da cidade. Analisando os preços neste mês de junho cinco dias após aumento anunciado pela Petrobras a pesquisa encontrou os preços reajustados em 95,2% dos posto pesquisados, apenas um único posto permaneceu com o preço da pesquisa anterior em maio de R$ 7,95, Posto Brasil localizado na zona leste da cidade na avenida presidente Bandeira, 1270 no bairro de Lagoa Seca, e em dois posto esse combustível estava em falta.

Em relação ao diesel foi encontrado pelo menos um posto com o maior preço de R$ 8,29, e um com o menor preço de R$ 7,14, isso representa uma variação de 16,11%, em reais a diferença é de R$ 1,15, entre o maior e menor preço. Já o diesel S-10 em 76,2% dos postos pesquisados foram encontrados preços reajustados à maior, em 19% não foi encontrado esse produto, e em 4,8% dos postos permaneceu com os mesmos preços da pesquisa anterior, um na zona norte no posto Pajuçara no bairro de Potengi ao preço de R$ 7,49, um na zona oeste posto Alecrim avenida presidente Sarmento, 426 no bairro do Alecrim ao preço de R$ 7,19, e dois na zona leste da cidade na avenida senador Dinarte Marinho, posto via Costeira com o preço de R$ 7,49 e outro na avenida prudente de Morais posto São Luiz ao preço de R$ 7,69 no bairro Tirol.

O aumento anunciado para a gasolina e o diesel foram refletidos também no etanol, uma vez que a pesquisa encontrou variação nesse combustível de 3,78% de um mês para o outro, e para o gás veicular foi observado uma redução de R$ 0,02 centavos de reais na média desse combustível, no entanto, a variação entre o maior e menor preço foi de 2,23%, isso representa uma diferença de R$ 0,10, uma vez que a pesquisa encontrou o menor preço de R$ 4,49 e o maior preço de 4,59.

As planilhas contendo todos os dados de preço, média, e variação, bem como os estabelecimentos pesquisados, para todos os combustíveis, dentre outras informações, podem ser obtidas através do endereço eletrônico http://www.natal.rn.gov.br/procon/pesquisa. É permitida a cópia dos dados da pesquisa, desde que seja citada a fonte: Núcleo de pesquisa Procon Natal. No entanto, é vedada a utilização deste material, integral ou parcial, para fins de anúncio publicitário comercial de qualquer espécie.

Gasolina comum

A diferença entre o maior R$ 8,19 e o menor preço R$ 7,60 uma diferença de R$ 0,59 centavos de reais por litro de gasolina e isso equivale a uma variação de 7,76%, a variação mensal foi de 6,29% com o preço médio atual de R$ 7,98 e R$ 7,51 na pesquisa anterior e isso equivale a uma diferença de R$ 0,47 centavos de real por litro de gasolina de diferença entre a pesquisa atual e a anterior. A região com melhor média foi a oeste com R$ 7,94, e a região mais cara para esse combustível é a sul com um preço médio de R$ 8,00.

Gás Veicular

Para o Gás Veicular, os preços em média tiveram redução mínima de R$ 0,02 centavos de reais, onde o preço médio nesse mês encontrado pela pesquisa foi de R$ 4,55 e no mês de maio o preço médio do gás veicular na capital era de R$ 4,57. Essa redução foi observada em 4,8% dos postos pesquisados e alguns posto a redução chegou a R$ 0,10 centavos de reais por m3.. É o caso do posto 30 de setembro na Av. Prudente de Morais, no bairro da Candelária que na pesquisa passada o preço era R$ 4,59 e nesse mês a pesquisa encontrou no mesmo posto o preço de R$ 4,49.

A região norte é a mais cara para esse combustível com o preço médio de R$ 4,59, já a região com os melhores preços para abastecer é a leste e oeste com média de R$ 4,53.

Etanol

Esse combustível não teve anúncio de aumento pela Petrobras, no entanto, faz parte da composição de comercialização da gasolina para venda. A pesquisa encontrou um preço máximo para o etanol nesse mês de R$ 6,65 e o mínimo encontrado pela pesquisa foi de R$ 5,99, ou seja, uma variação de 11,02% e uma diferença de R$ 0,66 centavos de reais entre o maior preço e o menor preço encontrado nas bombas. Em média, a região com menor preço foi a oeste com R$ 6,38, e a maior média de preço do etanol foi encontrada na região sul com R$6,45, na região oeste e leste a média foi a mesma da média geral de R$ 6,43. Entre os meses de maio e junho a variação foi de 2,89%, sendo em maio na segunda pesquisa o preço médio de R$ 6,25 e em junho o preço médio foi de R$ 6,43 um aumento de R$ 0,18 centavos de reais.

Diesel Comum e Diesel S-10

O Diesel comum, teve variação de 6,95% de um mês para o outro, ou seja, no mês de junho a pesquisa encontrou o preço médio R$ 7,66 e no mês de maio na segunda pesquisa foi encontrado um preço médio para o Diesel de R$ 7,17, isso representa um aumento de R$ 0,49 centavos de reais por litro. Já a variação entre o maior e menor preço no mês foi de 16,11%, onde o maior preço R$ 8,29 encontrado na região oeste, e menor preço encontrado foi na região norte no posto Nova Natal, bairro de lagoa Azul de R$ 7,14, e isso equivale a uma economia de R$ 1,15 centavos de reais no litro para o consumidor que tem por hábito pesquisar.

O diesel S-10 segue também com preços reajustados, na média o preço encontrado pela pesquisa para esse combustível foi de R$ 8,03, na pesquisa anterior o preço médio era de R$ 7,42, ou seja, uma variação de 8,18%. O maior preço para esse combustível foi encontrado à R$ 8,40 e o menor à R$ 7,19, uma diferença de R4 1,21, sendo mais um indício que o consumidor deve utilizar-se da pesquisa para economizar na hora de abastecer, a melhor região para abastecer com esse combustível é a oeste com preço médio de R$ 7,95.

Conclusão

O Núcleo de Pesquisa do Procon Natal acompanha mensalmente os preços dos combustíveis na cidade do Natal. Para esse mês, a pesquisa identificou repasse nos preços ao consumidor referente ao anunciado pela Petrobras. A pesquisa encontrou variação maior que o anunciado pela estatal brasileira, no entanto, para chegar ao consumidor esse produto é acrescido de custo do posto mais tributos.

O Procon Natal orienta os consumidores a pesquisar e divulga a planilha com variações entre o maior e menor preço, como também com os menores e maiores preços encontrados pelos pesquisadores no endereço eletrônico www.natal.rn.gov.br/procon/pesquisa, e mais à região com os melhores preços encontrados. Na região oeste o etanol e a gasolina, o diesel comum mais barato foi encontrado na região norte, quanto ao gás veicular estava mais em conta na região leste e oeste. Na região norte e sul foi encontrado 100% dos postos com preços reajustados em relação à pesquisa anterior e na região norte e sul os maiores preços, nas outras duas regiões não foi registrado o total de cem por cento porque em um posto na zona oeste estava em falta e em dois postos da zona leste estavam praticando os mesmos preços da pesquisa anterior.

87,8% dos 10.435 empregos perdidos em 2020 no RN eram ocupados por mulheres

NO CASO DOS HOMENS, HOUVE REDUÇÃO DE 0,42% NO NÚMERO DE ASSALARIADOS, QUE SAIU DE 299.896 EM 2019 PARA 298.623 EM 2020. FOTO: GETTY

A destruição de postos de trabalho assalariado em 2020, ano inicial da pandemia, atingiu sobretudo as mulheres no Brasil. No Rio Grande do Norte, 87,8% dos 10.435 postos perdidos em 2020 eram ocupados por mulheres.

Naquele ano, as empresas e outras organizações instaladas no RN possuíam 229.898 mulheres com carteira assinada, menor quantidade registrada nos últimos dez anos. Ante 2019, quando 239.060 estavam contratadas, a queda foi de 3,83%, o que significa uma redução de 9.162 mulheres ocupadas.

No caso dos homens, houve redução de 0,42% no número de assalariados, que saiu de 299.896 em 2019 para 298.623 em 2020, ou seja, 1.273 trabalhadores a menos. Os dados são do Cadastro Central de Empresas (Cempre) referentes a 2020 e divulgados nesta quinta-feira (23), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

No País, dos 825,3 mil postos de trabalho perdidos em relação a 2019, 593,6 mil (ou 71,9%) eram ocupados por mulheres. Isso significa que a cada dez assalariados demitidos no ano, pelo menos sete eram mulheres. Em 2020, o número de homens trabalhando como assalariados caiu 0,9%, enquanto o de mulheres tombou 2,9%.

Com informações da Tribuna do Norte

RN e outros 10 estados recorrem ao STF sobre mudança no ICMS

OS ESTADOS TERÃO QUE COBRAR O IMPOSTO FAZENDO UMA MÉDIA DE PREÇOS DOS ÚLTIMOS 60 MESES. FOTO: REPRODUÇÃO

O Rio Grande do Norte e mais dez estados protocolaram uma ação direta de inconstitucionalidade junto ao Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a lei complementar 192, que mudou as regras de incidência do ICMS para os combustíveis. Eles recorrem após a decisão do ministro André Mendonça, do Supremo Tribunal Federal (STF), que unifica o cálculo do imposto para todos os combustíveis – diesel, gasolina, etanol, gás e biodiesel.

A mudança foi aprovada em março de 2022, em uma tentativa do governo e do Congresso Nacional de diminuir o preço da gasolina e do diesel e, também, o impacto disso nas campanhas eleitorais. Os pontos questionados no STF foram a uniformização da alíquota cobrada, a mudança na forma de cálculo (artigo 7), e a proibição de alterar mais de uma vez por ano a alíquota de ICMS.

O artigo 7 da LC 192 trata sobre uma transição do ICMS, no caso do diesel e biodiesel nos seguintes termos: “Enquanto não disciplinada a incidência do ICMS nos termos desta Lei Complementar, conforme o disposto no art. 6º, a base de cálculo do imposto, para fins de substituição tributária em relação às operações com diesel, será, até 31 de dezembro de 2022, em cada Estado e no Distrito Federal, a média móvel dos preços médios praticados ao consumidor final nos 60 meses anteriores à sua fixação”.

Mendonça determinou que os estados façam o cálculo com base na média de preços dos últimos 60 meses, a partir de primeiro de julho, até que o Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) edite nova norma.

A ADI, endereçada ao ministro do STF Luiz Fux, é assinada pelos governadores de Pernambuco, Maranhão, Paraíba, Piauí, Bahia, Mato Grosso do Sul, Sergipe, Rio Grande do Norte, Alagoas, Ceará e Rio Grande do Sul. Os estados pedem uma medida liminar cautelar para que essas mudanças sejam suspensas até que o STF tenha uma decisão final sobre o assunto. No pedido, os estados alegam que o governo federal buscou uma “solução mágica” para baixar o preço dos combustíveis, sendo que a responsabilidade é da “política tarifária da Petrobras, sociedade de economia mista sob controle da própria União, e agravada pela crise econômica mundial”.

Outro problema, prossegue a peça, é que “tudo isso foi feito sem qualquer estudo de impacto fiscal e sem a demonstração de que esse novo instrumento será eficaz, dado que os preços dos combustíveis são atrelados à sorte dos mercados internacionais e resultado de uma política duvidosa da Petrobras”. “Não é difícil entender que essa medida é populista, eleitoreira e ineficaz”, concluiu.

Segundo os governadores, o aumento do preço dos combustíveis é resultado da política tarifária da Petrobras, que piorou com a crise econômica mundial. “Tudo isso foi feito sem qualquer estudo de impacto fiscal e sem a demonstração de que esse novo instrumento será eficaz, dado que os preços dos combustíveis são atrelados à sorte dos mercados internacionais e resultado de uma política duvidosa da Petrobras.”

O Rio Grande do Norte

A arrecadação fiscal do Rio Grande do Norte pode perder até R$ 1,57 bilhão por ano com as mudanças na legislação em relação ao Imposto sobre Operações relativas à Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação (ICMS).

O valor refere-se à soma das eventuais perdas com a aprovação do Projeto de Lei 18/2022, em que o Estado perderia R$ 1.093 bilhão com o teto de 17%, e à decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), André Mendonça, de estender a nova forma de cobrança do diesel do ICMS para todos os demais combustíveis, que deve retirar do Estado até R$ 480,63 milhões. Para todos os Estados o impacto com as duas medidas será negativo em R$ 123,32 bilhões.

Com informações da Tribuna do Norte

Receita libera amanhã consulta a segundo lote de restituição do IR

IMPOSTO DE RENDA 2022. FOTO-MARCELO CAMARGO-AGÊNCIA BRASIL

 partir das 10h de amanhã (24), o contribuinte que entregou a Declaração do Imposto de Renda Pessoa Física acertará as contas com o Leão. Nesse horário, a Receita Federal liberará a consulta ao segundo dos cinco lotes de restituição de 2022. O lote também contempla restituições residuais de anos anteriores.

Ao todo, 4.250.448 contribuintes receberão R$ 6,3 bilhões. Desse total, R$ 2.697.759.582,31 serão pagos aos contribuintes com prioridade legal, sendo 87.401 idosos acima de 80 anos de idade; 675.495 entre 60 e 79 anos; 48.913 contribuintes com alguma deficiência física ou mental ou doença grave e 661.831 contribuintes cuja maior fonte de renda seja o magistério.

O restante do lote será destinado a 2.776.808 contribuintes não prioritários que entregaram declarações de exercícios anteriores até 19 de março deste ano. 

O dinheiro será pago em 30 de junho. A consulta pode ser feita na página da Receita Federal da internet. Basta o contribuinte clicar no campo “Meu Imposto de Renda” e, em seguida, “Consultar Restituição”. A consulta também pode ser feita no aplicativo Meu Imposto de Renda, disponível para os smartphones dos sistemas Android e iOS.

A consulta no site permite a verificação de eventuais pendências que impeçam o pagamento da restituição – como inclusão na malha fina. Caso uma ou mais inconsistências sejam encontradas na declaração, basta enviar uma declaração retificadora e esperar os próximos lotes.

Inicialmente prevista para terminar em 29 de abril, o prazo de entrega da Declaração do Imposto de Renda Pessoa Física foi adiado para 31 de maio para diminuir os efeitos da pandemia da covid-19 que pudessem prejudicar o envio, como atraso na obtenção de comprovantes. Apesar do adiamento, o calendário original de restituição foi mantido, com cinco lotes a serem pagos entre maio e setembro, sempre no último dia útil de cada mês.

A restituição será depositada na conta bancária informada na Declaração de Imposto de Renda. Se, por algum motivo, o crédito não for realizado, como no caso de conta informada desativada, os valores ficarão disponíveis para resgate por até um ano no Banco do Brasil.

Neste caso, o cidadão pode reagendar o crédito dos valores de forma simples e rápida pelo Portal BB, ou ligando para a Central de Relacionamento BB por meio dos telefones 4004-0001 (capitais), 0800-729-0001 (demais localidades) e 0800-729-0088 (telefone especial exclusivo para deficientes auditivos).

AGÊNCIA BRASIL

Em Santa Cruz, Fecomércio RN apresenta números e impacto da Festa de Santa Rita

A PAUTA EM SANTA CRUZ TAMBÉM CONTOU COM A INSTALAÇÃO DA UNIDADE MÓVEL DO SENAC INFORMÁTICA E GESTÃO, QUE FICARÁ NA CIDADE ATÉ O FINAL DE AGOSTO. FOTO: DIVULGAÇÃO

Empresários, gestores públicos e sociedade civil de Santa Cruz tiveram acesso às pesquisas de Percepção dos Empresários da Festa da Padroeira e o perfil dos participantes do evento em homenagem a Santa Rita, festividade que aconteceu em maio deste ano. A apresentação aconteceu nesta segunda-feira (20), na Casa do Empresário.

Os estudos foram elaborados pelo Instituto Fecomércio RN, atendendo uma solicitação do Sindicato do Comércio Varejista de Santa Cruz.

O diretor de Inovação e Competitividade da Fecomércio RN, Luciano Kleiber, expôs os números coletados entre os dias 17 e 22 de maio, onde foram entrevistados mais de 500 empreendedores e participantes da Festa de Santa Rita.

Cerca de 70% (exatos 69,3%) dos empreendedores avaliaram como positivo o período de festas de Santa Rita de Cássia e 74% avaliaram o movimento acima das expectativas.

Já entre os participantes da Festa de Santa Rita, 97,8% afirmaram que pretendem retornar aos festejos e 98,4% indicariam o evento para os parentes e ou amigos. O evento teve nota média de 9,45.

“O Sistema Fecomércio apoiou a realização da festa e agora estamos coroando a nossa série de ações no município. As pesquisas são uma lupa profunda no nosso evento, que irá nortear tanto os empreendedores como o poder público nas próximas edições. O turismo religioso de Santa Cruz está deslanchando e será ainda mais impactado com o teleférico. Precisamos de um envolvimento maior entre a classe produtora e gestores públicos para alcançarmos maiores e melhores resultados”, comentou o presidente do Sindivarejo Santa Cruz, Márcio Macedo.

A secretária municipal de Turismo e Desenvolvimento Econômico, Marcela Pessoa, agradeceu os estudos desenvolvidos pela Fecomércio e se mostrou satisfeita com os números apresentados.

“É com muita alegria que vejo os números e que estamos no caminho certo. A Prefeitura está fazendo a sua parte, investindo e tendo retorno, com aumento dos empregos, da receita e a renda retornando para a cidade”, comentou a gestora.

A pauta em Santa Cruz também contou com a instalação da Unidade Móvel do Senac Informática e Gestão, que ficará na cidade até o final de agosto. Serão oferecidos os cursos de Informática Básica – Sistemas Operacionais e Office, e Técnicas Avançadas de Word e Excel, para 60 alunos.

O momento contou com a presença do diretor de Educação Profissional do Senac, Gedson Nunes.

Estiveram também presentes o chefe de gabinete da Prefeitura, Paulo César; o presidente da Câmara Municipal de Vereadores, Marco Costa; o presidente da CDL, Alex Ranieri e membros do conselho da Paróquia de Santa Rita.