SELO BLOG FM (4)

Categoria: Coronavírus

NOVA VARIANTE:Butantan identifica nova variante recombinante da Covid-19 em São Paulo

FACHADA DO CENTRO DE PESQUISA BIOLÓGICA INSTITUTO BUTANTAN, NO BAIRRO DO BUTANTÃ, ZONA OESTE DA CAPITAL. FOTO-RAVENA ROSA-AGÊNCIA BRASIL

Mais um caso de variante recombinante do vírus SARS-Cov-2, que causa a covid-19, foi identificada em São Paulo pelo Instituto Butantan. Dessa vez, a variante XG foi encontrada em amostras coletadas de uma mulher de 59 anos, moradora do bairro da Penha, na capital paulista. Não há informações sobre os sintomas, nem se a paciente estava vacinada ou se ela tem histórico de viagem.

A XG é uma variante recombinante das linhagens BA.1 e BA.2 da cepa Ômicron. Ela tem a mesma combinação da variante XE, mas as mutações são diferentes. A maior parte dos casos de infecção pela XG foi registrada na Dinamarca e, por enquanto, não há motivos de preocupação sobre a sua disseminação.

Este foi o terceiro caso de uma variante recombinante identificada em São Paulo. O primeiro caso foi identificado em março, em um homem de 39 anos, também de São Paulo e que estava com o esquema vacinal completo contra a covid-19. As amostras identificaram que ele tinha a variante XE. Como ele não tinha histórico de viagem ao exterior e nem contato com pessoas que estiveram em outros países, isso indicou que a variante já circula de forma comunitária na cidade de São Paulo. Ele apresentou sintomas leves da doença.

Em abril foi registrado mais um caso, dessa vez da variante recombinante XQ, que surgiu a partir de uma mistura da sublinhagem BA.1.1 e linhagem BA.2. Ela foi identificada em um casal de São Paulo que ainda não tinha tomado a terceira dose da vacina. O casal relatou sintomas comuns da covid-19 como febre, dores de cabeça, no corpo e na garganta. Eles também não tinham histórico de viagem.

O vírus original da covid-19 é o SARS-CoV-2, que foi identificado inicialmente na China. Dele surgiram diversas linhagens, sublinhagens e variantes recombinantes. Isso ocorre porque os vírus são partículas constituídas de material genético, que pode ser DNA ou RNA, envolvidas em uma cápsula de proteína. Quanto mais o vírus se espalha, mais ele tende a sofrer mutações, ou seja mudar sua estrutura inicial. Essa mutação é chamada de variante.

Quando a variante começa a se propagar, infectando pessoas em diferentes regiões ou países, ela se torna uma linhagem. Esse é o caso das variantes Alfa (B.1.1.7), Beta (B.1.351), Gama (P.1), Delta (B.1.617.2) e Ômicron (B.1.1.529). Mas quando a mutação não altera muito o material genético, surgem as sublinhagens, ou seja, variantes muito semelhantes às quais pertencem. Segundo o Instituto Butantan, uma forma fácil de detectar sublinhagens é perceber que a nomenclatura sofreu ramificações, como as da ômicron, das quais surgiram as sublinhagens BA.1, BA.1.1, BA.2 e BA.3.

Já uma variante recombinante é uma cepa que surge quando há uma mistura ou recombinação de material genético de duas ou mais linhagens ou sublinhagens do vírus. Para que isso ocorra, é preciso que uma pessoa contraia pelo menos duas linhagens do vírus ao mesmo tempo.

Até o momento, múltiplas variantes recombinantes foram detectadas em circulação no mundo, podendo ser reconhecidas pela letra X em seu nome. As linhagens recombinantes mais recentes vão de XD, mais popularmente conhecida como deltacron, seguindo em ordem alfabética até XW.

AGÊNCIA BRASIL

Rio Grande do Norte completa 30 dias em óbitos por Covid-19

CORONAVÍRUS. FOTO-DIVULGAÇÃO

O Rio Grande do Norte alcançou neste sábado (14) a marca de 30 dias sem óbito por Covid-19. O quadro se dá principalmente por conta do avanço da vacinação em todas as faixas etárias, esforço feito em parceria entre Governo do Estado e municípios potiguares. Como exemplo, no grupo acima dos 60 anos a cobertura vacinal atingiu toda a população estimada com as duas doses e está em 90% para a dose de reforço até agora.

Ao longo da pandemia, o Governo, em conjunto com as gestões municipais, chegou a abrir 840 leitos de UTI e clínicos nos momentos mais críticos. Hoje, a plataforma RegulaRN aponta que: são 67 leitos de UTI reservados para pacientes acometidos pela Covid-19, sendo onze ocupados. E estão disponíveis 88 leitos clínicos, com apenas cinco pacientes internados.

“Com o avanço da vacinação conseguimos uma melhora gradativa, tanto na transmissão como nos casos de internação, sendo a maioria dos internados ainda sem seu esquema vacinal completo. Reforçamos a importância da vacina em todos os públicos para continuarmos num cenário confortável e esperançoso”, afirma o secretário de Estado da Saúde Pública, Cipriano Maia.

Atualmente o RN conta com 2.959.606 pessoas vacinadas com a primeira dose, o que representa 93% da população. Com a segunda dose são 2.669.722, totalizando 84%. Com a terceira dose são 1.535.563, 48% da população. Ao todo, 7.253.122 doses foram aplicadas em todos os municípios

Confira a parcial de hoje (14.05.2021)

Prezados, Bom Dia! Encaminhamos resumo dos dados relacionados à Covid-19 no Rio Grande do Norte:

Dados parciais – 14 de Maio de 2022.
COVID-19:

Casos Notificados e Confirmados nas últimas 24 horas: 71

00 Óbitos confirmados ocorridos nas últimas 24 horas:

Casos Confirmados: 504.270

Casos Suspeitos: 396

Casos Descartados: 951.321

Casos Recuperados: 495.472

Casos em acompanhamento: 602

ÓBITOS:

Óbitos Confirmados para Covid-19: 8.196

Óbitos Suspeitos: 1.406

Óbitos descartados para COVID-19: 1.305

RN regista aumento na taxa de ocupação de leitos COVID

PORTAL REGULA RN-FOTO-REPRODUÇÃO

(Da redação do BLOG do FM) Depois de semanas com a taxa de ocupação de leitos para tratamento da COVID-19 abaixo de 10%, o Estado do Rio Grande do Norte, voltou a registar um pequeno aumento na procura por leitos.

De forma geral, o estado está com 17,3%, sendo 10 pacientes internados entre leitos  clínicos e críticos.

Segundo a plataforma Regula RN a Região metropolitana apresenta 18,9% dos leitos críticos ocupados, a região Oeste tem 13,3% e a Região Seridó tem 0%.

Ao todo são 32 leitos críticos (UTI) disponíveis e 9 ocupados, enquanto em relação aos leitos clínicos (enfermaria), são 59 disponíveis e 1 ocupado.

O estado registrou 17 novos casos da doença nas ultima 24h e continua sem registar óbitos ocasionados pela Covid-19. Outros 11 leitos de UTI estão ocupados por pacientes ‘não Covid-19’ e também 11 leitos clínicos também estão ocupados por pacientes ‘não Covid-19’, com outras síndromes gripais

RN tem queda de 82% no número de mortes por Covid em abril, diz Sesap

OITO MORTES FORAM REGISTRADAS PELA DOENÇA EM ABRIL, EM MARÇO, ESSE NÚMERO TINHA SIDO DE 46. SESAP VÊ MELHOR CENÁRIO POR CONTA DA VACINAÇÃO. FOTO: REPRODUÇÃO/TV GLOBO

O Rio Grande do Norte teve uma queda de 82,6% no número de mortes por Covid no mês de abril em comparação com o mês de março. Os dados são da Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) e foram divulgados nesta terça-feira (3).

De acordo com a pasta, oito pessoas morreram em abril vítima da doença em todo o estado. Em março, foram 46.

A queda é ainda maior na comparação com fevereiro, quando 311 pessoas perderam a vida para a Covid – a redução nesse período foi de 97%.

Segundo a Secretaria de Saúde, a análise dos dados representa “uma queda sustentada da pandemia no estado”.

Além do número de mortes, essa tendência de arrefecimento da pandemia foi manifestada também nos casos confirmados. Veja os números:

  • Fevereiro: 42.764
  • Março: 9.585
  • Abril: 4.055

A Sesap aponta que essa redução de casos e mortes é amparada pela vacinação em massa, que atingiu todas as idades.

“Quando fazemos, então, um comparativo com abril de 2021, quando a vacinação estava apenas começando, vemos um avanço grande e, consequentemente, a diminuição de casos, óbitos e também internações”, disse a subcoordenadora de Vigilância Epidemiológica da Sesap, Diana Rêgo.

A queda também se dá nas internações. Na manhã desta terça, a plataforma Regula RN registrava oito pessoas internadas com Covid na rede pública de saúde do estado, sendo seis em leitos críticos e dois em clínicos.

Como comparação, no pico da pandemia, em 2021, os leitos SUS chegaram a acolher mais de 440 pessoas simultaneamente apenas nas UTIs. Diante disso, desde o início da pandemia, mais de 1 mil pessoas morreram nas filas por um leito sem sequer conseguir um atendimento necessário.

Diante dessa redução, a subcoordenadora de Vigilância Epidemiológica da Sesap, Diana Rêgo, reforça a necessidade das pessoas completarem o esquema de imunização contra a Covid, em especial as crianças.

“A imunização é a principal estratégia de prevenção e diminuição de casos graves, como mostram os dados. A vacinação coletiva é importante para proteção de todos”, completou a subcoordenadora.

G1RN

Sem Pfizer, vacinação em pessoas imunossuprimidas com menos de 18 anos fica suspensa em Natal

RECOMENDAÇÃO DO MS É QUE APLICAÇÃO EM PESSOAS ABAIXO DE 18 ANOS IMUNOSSUPRIMIDAS SEJA APENAS COM O IMUNIZANTE DA PFIZER, QUE ACABOU NA CAPITAL. FOTO: SERGIO HENRIQUE SANTOS

A vacinação contra a Covid de pessoas imunossuprimidas abaixo de 18 anos está suspensa em Natal em função da falta de doses da Pfizer. A informação foi confirmada pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS).

O imunizante da Pfizer é o único recomendado para aplicação nesse público – em quaisquer das doses – tanto pela Secretaria de Estado da Saúde Pública do RN (Sesap) quanto pelo Ministério da Saúde e está em falta na capital potiguar.

Dessa forma, a imunização desse público foi suspensa na capital, que chegou a divulgar, através da SMS, que estava aplicando CoronaVac nesse grupo, o que foi corrigido nesta quinta-feira (28).

“Foi imunossuprimido, independente, ele não tem indicação de receber a CoronaVac, principalmente o adolescente”, disse a chefe do núcleo de agravos imunopreveníveis da SMS, Veruska Ramos Torres.

A Sesap reforçou a recomendação da aplicação apenas da Pfizer nesse público.

“A orientação do estado é que esses menores de 18 anos imunossuprimidos sejam imunizados exclusivamente com a vacina da Pfizer. É a recomendação do Ministério da Saúde e do fabricante do imunizante”, pontuou.

A Secretaria Municipal de Saúde informou que a capital deve receber novas doses da Pfizer, do Ministério da Saúde, na próxima semana e normalizar a aplicação.

G1RN

Ministro da Saúde oficializa fim de emergência sanitária

MINISTRO DA SAÚDE MARCELO QUEIROGA. FOTO-ANTÔNIO CRUZ-AGÊNCIA BRASIL

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, assinou a portaria de encerramento da emergência de saúde pública de interesse nacional da pandemia da covid-19, hoje (22). Essa condição reconhecia a gravidade da pandemia e dava base para políticas e medidas de autoridades de saúde nos níveis federal, estadual e municipal. A norma deverá ser publicada em edição especial do Diário Oficial da União ainda nesta sexta-feira (22).

O fim da emergência de saúde pública terá um prazo de transição de 30 dias, para adequação dos governos federal, estaduais e municipais, ou seja, a portaria passa a valer em 22 de maio.

Em entrevista coletiva, o ministro e secretários da pasta afirmaram que essa mudança não comprometerá as diversas ações e o aporte de recursos para a vigilância em saúde.

“Mesmo que tenhamos casos de covid-19, porque o vírus vai continuar circulando, se houver necessidade de atendimento na atenção primária e leitos de UTI, temos condição de atender”, declarou.

Quanto à manutenção da condição de pandemia pela Organização Mundial da Saúde (OMS), o titular da pasta acrescentou que a portaria lida com o encerramento da emergência de saúde pública de interesse nacional, sem mencionar pandemia ou endemia.

Um impacto chave do fim da emergência será sobre as medidas de restrição e prevenção, como a obrigatoriedade do uso de máscaras, definida por estados e municípios. “O que muda é a questão de se restringir as liberdades individuais de acordo com as vontades de um gestor municipal. Não faz mais sentido este tipo de medida. A minha expectativa é que se acabe essas exigências”, disse.

Outro efeito do fim da emergência será sobre a exigência de vacinação para acesso a locais fechados. O ministro criticou essa exigência. Ele lembrou que 74% da população completaram o ciclo vacinal.

Sobre 2023, o ministro afirmou que “ninguém sabe” como será a vacinação contra a covid-19. “Vamos vacinar só idosos, profissionais de saúde, gestantes, crianças? Com qual vacina? Essa que temos, outra com capacidade de combater variantes? A ciência trará essas respostas”, ressaltou.

Sobre as vacinas e medicamentos autorizados em caráter emergencial pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), o ministro disse que solicitou a prorrogação da medida por mais um ano.

O secretário-executivo do Ministério da Saúde, Rodrigo Cruz, afirmou que o fim da emergência de saúde pública não afetará a transferência do governo federal para estados e municípios na modalidade chamada “fundo a fundo”.

A secretaria criada para o combate à covid-19 será extinta. Na entrevista coletiva, Rodrigo Cruz afirmou que o tema será tratado “em alguma área no ministério”. O secretário de Vigilância em Saúde, Arnaldo Medeiros, disse que será criada uma coordenação-geral voltada a vírus respiratórios.

O secretário de Vigilância em Saúde, Arnaldo Medeiros, informou que o ministério manterá ações de controle da doença e de outros vírus de síndrome respiratória aguda grave. “Manteremos vigilância de casos, testagem, notificação obrigatória, genômica, da síndrome inflamatória em crianças e adultos e vigilância de emergência em saúde pública”, declarou.

Sobre a telemedicina, autorizada em caráter excepcional em razão da pandemia, Queiroga citou o Projeto de Lei nº 1998 de 2020, que está pronto para votação na Câmara dos Deputados. “Uma vez aprovado na Câmara, podemos editar uma nova portaria enquanto o Senado Federal se manifesta sobre essa proposta legislativa”, pontuou Queiroga.

Nesta semana, os conselhos de secretários de Saúde de estados (Conass) e municípios (Conasems) questionaram o fim da emergência e pediram um prazo maior, de 90 dias, em vez de 30 dias, para adaptação.

“Sob o risco de desassistência à população, solicitamos ao Ministério da Saúde que a revogação da Portaria MS/GM nº 188, de 3 de fevereiro de 2020, estabeleça prazo de 90 dias para sua vigência e que seja acompanhada de medidas de transição pactuadas, focadas na mobilização pela vacinação e na elaboração de um plano de retomada capaz de definir indicadores e estratégias de controle com vigilância integrada das síndromes respiratórias”, diz o ofício das entidades.

Na entrevista coletiva, Queiroga comentou a posição dos conselhos de secretários de saúde. “Eu sei que secretários dos estados e municípios queriam que o prazo fosse maior. Mas olha, o governador Ibaneis Rocha já cancelou o decreto do DF e o governador Cláudio Castro vai fazer o mesmo no Rio de Janeiro. Não vejo muita dificuldade para que secretarias estaduais e municipais se adéquem”, avaliou.

O Conselho Nacional de Saúde divulgou nota técnica em que defende medidas para uma “transição segura da pandemia para uma futura situação endêmica da covid-19, mantendo as medidas não farmacológicas até que sejam atingidas coberturas vacinais homogêneas em todas as unidades da federação de, no mínimo, 80% da população vacinável”.

Entre as medidas, o conselho, que reúne representantes do poder público, de usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) e entidades da sociedade civil, recomenda a continuidade do uso de máscaras em ambientes fechados e com aglomeração. Outra ação defendida pelo CNS é a “implementação de estratégias para verificação dos comprovantes de vacinação, especialmente em situações de aglomeração”.

Agência Brasil

Veja onde se vacinar contra covid-19, Influenza e Sarampo em Natal nesta sexta-feira

NESTE DIA DE PONTO FACULTATIVO NÃO HÁ EXPEDIENTE NAS UNIDADES BÁSICAS DE SAÚDE. FOTO: DIVULGAÇÃO

Após o feriado de Tiradentes, Natal tem ponto facultativo nesta sexta-feira (22). Apesar disso, a Secretaria Municipal de Saúde de Natal (SMS/Natal) definiu um horário diferenciado para o funcionamento nos pontos de aplicação das vacinas contra a Covid-19, Influenza e Sarampo.

Hoje, os locais de aplicação das vacinas são o drive-thru e sala de pedestres do Ginásio Nélio Dias (09h às 16h), sala de pedestres da Comjol Roberto Freire (exclusivo Covid e Influenza das 09h às 16h) e o carro itinerante do SESC, estacionado no Praia Shopping (exclusivo Covid das 10h às 19h).

Assim como no feriado, neste dia de ponto facultativo não há expediente nas unidades básicas de saúde, serviço que será retomado na segunda-feira (25). No sábado (23) e domingo (24) os pontos extras mantêm funcionamento em horário normal. Para verificar todas as informações, dúvidas frequentes e documentação necessária basta acessar a plataforma Vacina Natal, disponível no vacina.natal.rn.gov.br .

Em Natal, qualquer pessoa a partir de cinco anos de idade pode se vacinar contra a Covid-19. O público da Influenza nesta etapa da campanha é formado por trabalhadores da área da saúde, idosos a partir dos 60 anos e crianças de seis meses a menores de cinco anos. A vacina contra o sarampo está disponível para profissionais da saúde e crianças de seis meses a menores de cinco anos nesse mesmo período.

Confira os locais e horários de vacinação contra a Covid-19, Sarampo e Influenza:

Ponto facultativo (22 de abril)

Nélio Dias das 09h às 16h

Comjol Roberto Freire exclusivo Covid e Influenza das 09h às 16h

Praia Shopping exclusivo Covid das 10h às 19h

Sábado (23 de abril)

Via Direta das 09h às 21h

Nélio Dias das 09h às 16h

Midway Mall das 10h às 17h

Partage Norte Shopping exclusivo Covid e Influenza das 14h às 20h

Comjol Roberto Freire exclusivo Covid e Influenza das 09h às 14h

Domingo (24 de abril)

Via Direta das 09h às 21h

Nélio Dias das 09h às 16h

Parnamirim monta cronograma de imunização contra Covid, Influenza e Sarampo para esta semana

CONFIRA OS LOCAIS DE VACINAÇÃO ABAIXO. FOTO: DIVULGAÇÃO

A Prefeitura de Parnamirim, divulgou o cronograma de vacinação para esta semana, com a inclusão da vacina contra Tríplice Viral (Sarampo, Caxumba e Rubéola), além da imunização contra Covid-19 e Influenza.

Covid-19:

Destinada a toda população acima de 5 anos

Influenza:

Apenas para crianças de 6 meses a menores de 5 anos, idosos a partir de 60 anos e profissionais de saúde.

Tríplice Viral(Sarampo, Caxumba e Rubéola):

A imunização será para crianças de 6 meses a 5 anos.

Pontos de vacinação e horários:

– Nordestão da Maria Lacerda

Horário: das 8h às 14h

– Uninassau da Cohabinal

Horário: das 8h às 14h

– Unidade Básica de Saúde (UBS)

Horário: verificar com a própria unidade

Cronograma para COVID-19:

  • D4 em idosos a partir de 60 anos que tomaram a D3 há 4 meses;
  • D1 para todos a partir de 5 anos;
  • D2 para as crianças de 6 a 11 anos que tomaram a D1 de CoronaVac há 28 dias;
  • D2 para as crianças de 5 a 11 anos que tomaram a D1 de Pfizer há 56 dias;
  • D3 para toda a população a partir dos 18 anos que tomou a D2 há 4 meses;D3 para IMUNOSSUPRIMIDOS, respeitando o intervalo de 28 dias entre a D2 e D3;
  • D4 para IMUNOSSUPRIMIDOS, a partir dos 12 anos, que tomaram a D3 há 4 meses;
  • D2 de OXFORD/ASTRAZENECA naqueles que tomaram a D1 há 90 dias;
  • D2 de PFIZER naqueles que tomaram a D1 há 21 dias;
  • D2 de CORONAVAC naqueles que tomaram a D1 no prazo de 28 dias;
  • D2 da JANSSEN naqueles que tomaram a D1 há 2 meses, com a própria JANSSEN.