SELO BLOG FM (4)

Políticos e entidades do RN se solidarizam pelo falecimento do empresário e ex-prefeito José Pinto Freire

EMPRESÁRIO E EX-PREFEITO, JOSÉ PINTO FREIRE FALECEU AOS 95 ANOS, EM NATAL. (FOTO: ARQUIVO PESSOAL)

EMPRESÁRIO E EX-PREFEITO, JOSÉ PINTO FREIRE FALECEU AOS 95 ANOS, EM NATAL. (FOTO: ARQUIVO PESSOAL)

A notícia do falecimento do empresário e ex-prefeito de Natal, José Pinto Freire, na madrugada desta quinta-feira (10) comoveu a classe política e empresarial do Rio Grande do Norte, que expressaram a solidariedade à família por meio de notas e publicações nas redes sociais. Pinto Freire tinha 95 anos e estava internado na Casa de Saúde São Lucas

FACEBOOK DO SENADOR GARIBALDI FILHO (PMDB)

FACEBOOK DO SENADOR GARIBALDI FILHO (PMDB)

 

TWITTER DO DEPUTADO ESTADUAL RICARDO MOTTA (PROS)

TWITTER DO DEPUTADO ESTADUAL RICARDO MOTTA (PROS)

 

NOTA DE PESAR EMITIDA PELA FECOMÉRCIO-RN

NOTA DE PESAR EMITIDA PELA FECOMÉRCIO-RN

Além da da destacada participação no ramo empresarial do estado, conhecido como um líder visionário  Pinto Freire também fez carreira política em Natal, entre os anos 50 e 80, atuando como presidente da Câmara Municipal e sendo vice-prefeito e prefeito da capital potiguar.

Segundo comunicado feito pela família de Pinto Freire, O velório ocorrerá na Capela Central do Cemitério Morada da Paz, em Emaús, a partir das 11.00hs. As 18:00 hs será celebrado um culto ecumênico e em seguida o sepultamento.

Mega-Sena pode pagar R$ 3,5 milhões nesta quinta-feira (10)

APOSTA MÍNIMA É DE R$ 35,00 E PODEM SER REALIZADAS ATÉ AS 19H00

APOSTA MÍNIMA É DE R$ 35,00 E PODE SER REALIZADA ATÉ AS 19H00

O sorteio do concurso 1.798 da Mega-Sena pode pagar um prêmio de R$ 3,5 milhões para quem acertar as seis dezenas nesta quinta-feira (10). O sorteio ocorre às 20h (horário de Brasília) no Terminal Rodoviário do Tietê em São Paulo (SP).

De acordo com a Caixa Econômica Federal (CEF), se um apostador levar o prêmio sozinho e aplicá-lo integralmente na poupança, receberá cerca de R$ 23 mil por mês em rendimentos. Caso prefira, poderá adquirir 10 casas no valor de R$ 350 mil cada, ou montar uma frota de 100 carros populares.

Para apostar na Mega-Sena
As apostas podem ser feitas até as 19h (de Brasília) do dia do sorteio, em qualquer lotérica do país. A aposta mínima custa R$ 3,50.

Probabilidades
A probabilidade de vencer em cada concurso varia de acordo com o número de dezenas jogadas e do tipo de aposta realizada. Para a aposta simples, com apenas seis dezenas, com preço de R$ 3,50, a probabilidade de ganhar o prêmio milionário é de 1 em 50.063.860, segundo a Caixa.

Já para uma aposta com 15 dezenas (limite máximo), com o preço de R$ 17.517,50, a probabilidade de acertar o prêmio é de 1 em 10.003, ainda segundo a Caixa.

G1

Balada Petrópolis faz tributo a Cartola e Noel Rosa nesta quinta (10)

 

CANTOR LUCIANO QUEIROZ. (FOTO: DIVULGAÇÃO)

CANTOR LUCIANO QUEIROZ. (FOTO: DIVULGAÇÃO)

As belas canções de Cartola e Noel Rosa irão embalar a noite desta quinta-feira (10) no Balada Petrópolis.  O Cantor Luciano Queiroz irá interpretar as melhores músicas desses grandes compositores da Música Popular Brasileira. A apresentação começa às 20h.

E quinta-feira também é dia de promoção de caranguejo: três unidades por R$ 10.

SERVIÇO

Tributo a Cartola e Noel Rosa com Luciano Queiroz

Dia: 10/03

Local: Balada Petrópolis

Hora: 20h

 

Informações: 2010-1921

Defensora do uso de armas é baleada pelo filho de quatro anos nos EUA

JAMIE GILT, DE 31 ANOS FOI BALEADA ACIDENTALEMENTE NA ÚLTIMA TERÇA-FEIRA (08), PELO FILHO DE QUATRO ANOS.

JAMIE GILT, DE 31 ANOS FOI BALEADA ACIDENTALMENTE NA ÚLTIMA TERÇA-FEIRA (08), PELO FILHO DE QUATRO ANOS.

O caso aconteceu nos Estados Unidos, um dia após a a ativista  Jamie Gilt, de 31 anos, defender que o filho já sabia atirar.

“Até o meu filho de 4 anos de idade se levanta e atira com uma arma calibre 22”, Gilt escreveu na página pessoal do Facebook.

Defensora do uso de armas, Jamie foi baleada pelo filho quando os dois estavam passeando de carro. O menino, que estava no banco traseiro, encontrou a arma carregada, um revólver calibre 45, e disparou acidentalmente. A bala perfurou o banco do motorista e transfixou o toráx da mãe.

Segundo o jornal “NY Daily News”, a  mulher está estável e não corre riscos de morte. O menino está sob os cuidados de outros membros da família, e o Departamento de Crianças e Famílias está investigando o caso.

Fonte: Novo Jornal

PRF prende idoso com 34 pedras preciosas e dinheiro venezuelano em São José de Mipibu

COM O IDOSO DE 64 ANOS, A PRF APREENDEU 9.300 BOLÍVARES VENEZUELANOS E 34 TURMALINAS PARAÍBA. (FOTO: DIVULGAÇÃO/PRF)

COM O IDOSO DE 64 ANOS, A PRF APREENDEU 9.300 BOLÍVARES VENEZUELANOS E 34 TURMALINAS PARAÍBA. (FOTO: DIVULGAÇÃO/PRF)

O idoso de 64 anos foi preso na tarde desta quarta-feira (09), durante uma fiscalização de rotina na BR-101, no município de São José de Mipibu, na Grande Natal. Com ele, a Polícia Rodoviária Federal encontrou 9.300 bolívares venezuelanos ( equivalente a R$ 5.400) e 34 turmalinas paraíbas, mineral raro que é encontrado em apenas quatro regiões do mundo. Segundo a PRF, O idoso estava com a carteira de habilitação vencida.

Os policiais descobriram que as pedras foram objetos de uma troca, em uma negociação realizada em dezembro de 2015, em Ponta Negra. No negócio,  construtor deu um terreno e uma máquina, valendo cerca de R$ 200 mil. O idoso –  que disse trabalhar na construção civil – afirma que  o dinheiro foi parte de pagamento de outra troca envolvendo terreno.

Segundo informações do Ministério Público Federal da Paraíba, “estima-se que um quilate (0,2 grama) da pedra custa em média U$ 30 mil e pode chegar a custar até U$ 100 mil, dependendo das características da gema”.

As pedras foram encaminhadas para perícia e o idoso foi autuado por usurpação de patrimônio da União, crime que prevê a pena de 1 a 5 anos de detenção.

Vereador quer que o Ministério Público investigue aquisição do “Kit Vergonha” pela Prefeitura de Parnamirim

O economista e vereador de Parnamirim, Giovani Rodrigues Júnior (PSD), defendeu na manhã de hoje que o Ministério Público do Rio Grande do Norte investigue a aquisição, pela prefeitura daquele município, do que está sendo chamado de “Kit Vergonha” – composto por revista de história em quadrinhos e uma camiseta da campanha contra o mosquito Aedes Aegypti, causador da Dengue e da Zika.

O detalhe que seria cômico, se não fosse trágico, é que o líder do governo no Legislativo municipal, vereador Antônio Batista, justificou que o valor da aquisição do KIT é alto, porque a camisa era à prova de mosquito Aedes Aegypti – ou seja, torna quem veste imune aos vírus da Dengue e da Zika.

A Prefeitura de Parnamirm adquiriu o “Kit Vergonha”, sob o argumento de que o mesmo teria a sua distribuição destinada aos alunos da rede municipal de ensino, por um valor de R$ 800 mil, através do sistema de inexigibilidade. As peças fazem parte da campanha “Todos contra a Dengue – Eu Visto essa Camisa”.

“O Ministério Público precisa investigar não só a aquisição do KIT, como também quem recebeu. Porque foram adquiridos só 10 mil kits, se temos mais alunos em nossa rede escolar? Porque a aquisição foi feita através de inexigibilidade?”, questiona.

A autorização para a compra dos dez mil “Kits Vergonha” foi assinada pela secretária de municipal de Educação e Cultura, Vandilma Maria de Oliveira e o pagamento será feito com recursos próprios do município, advindos das receitas do FPM,IPVA, IPTU e ICMS, além do salário educação.

Ontem, em sessão realizada na Câmara Municipal de Parnamirim, o vereador Gildásio Figueiredo denunciou o gasto de mais de R$ 800 mil para a compra do kit “milagroso”.

 

Giovani_Junior_dia_1-0

VEREADOR GIOVANI JUNIOR QUER QUE O MP INVESTIGUE AQUISIÇÃO DE KIT MILAGROSO PELA PMP

EXTRATO LICITAÇÃO

Mulher é presa com drogas no Passo da Pátria, em Natal

TAÍZE DE SOUZA SILVA ESTAVA COM A DROGA EM SUA RESIDÊNCIA. (FOTO: SESED)

TAÍZE DE SOUZA SILVA ESTAVA COM A DROGA EM SUA RESIDÊNCIA. (FOTO: SESED)

Policiais do 1º Batalhão de Polícia Militar (1ºBPM) prenderam na tarde desta quarta-feira (09) uma mulher identificada como Taíze de Souza Silva, de 41 anos, após ser flagrada com entorpecentes na Comunidade do Passo da Pátria, em Natal.

A PM recebeu uma denúncia anônima informando que suspeitos de tráfico de drogas estariam na comunidade. Ao chegar ao local, a PM não encontrou nada com os suspeitos. Porém, outra denúncia anônima informou que Taíze de Souza estaria com os entorpecentes em sua residência.

Os militares averiguaram e encontraram pedras de Crack, uma balança de precisão e dinheiro fracionados prontos para o tráfico. Diante do flagrante ela foi conduzida à Polícia Civil.

Fonte: Portal 190RN

STF decide e ministro da Justiça deve deixar o cargo em até 20 dias após publicação da ata

MINISTRO DA JUSTIÇA, WELLINGTON CÉSAR LIMA E SILVA. ( FOTO:VALTER CAMPANATO)

MINISTRO DA JUSTIÇA, WELLINGTON CÉSAR LIMA E SILVA. ( FOTO:VALTER CAMPANATO)

Por 10 votos a 1, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que o ministro da Justiça, Wellington César Lima e Silva, deve deixar o cargo em até 20 dias após a publicação da ata do julgamento, prevista para a segunda-feira (14).

Na sessão de hoje (9), seguindo voto do relator, Gilmar Mendes, os integrantes da Corte aceitaram recurso do PPS e entenderam que Silva, por ter cargo vitalício de procurador do Ministério Público (MP) da Bahia, não pode ocupar o cargo. Silva foi empossado na pasta no dia 3 deste mês no lugar de José Eduardo Cardozo, que migrou para a Advocacia-Geral da União (AGU).

O prazo de 20 dias também vale para 22 membros do Mnistério Público que estão afastados das funções para exercer atividades em secretarias de governo nos estados.

Gilmar Mendes votou pela manutenção da jurisprudência da Corte, que impede membros do Ministério Público de exercer cargos na administração pública. Seguiram o voto do relator os ministros Edson Fachin, Luís Roberto Barroso, Teori Zavascki, Dias Toffoli, Rosa Weber, Luiz Fux, Cármen Lúcia, Celso de Mello e o presidente, Ricardo Lewandowski. Somente o ministro Marco Aurélio votou contra o recurso do PPS.

A polêmica sobre a nomeação de Wellington César Lima e Silva estava torno de uma regra do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) que autoriza a nomeação de membros do Ministério Público em cargos na administração pública. Apesar de o órgão interno do MP autorizar a medida, precedentes do Supremo impedem a prática.

Voto do relator

O ministro Gilmar Mende disse que o Ministério Público não respeitou decisões anteriores da Corte que impediam o ingresso de seus membros em cargos do Executivo. Para Mendes, a Constituição é clara ao impedir que um membro do MP exerça outra função, exceto a de magistério. “Enquanto não rompido o vínculo com a instituição, a vedação persiste.”, justificou o ministro.

AGU

Em sua primeira sustentação oral no Supremo como advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo defendeu a legalidade na nomeação do ministro e alertou a Corte sobre os impactos de uma decisão que impeça Wellington Lima e Silva de continuar no cargo.

“Há muitos membros do Ministério Público que exercem funções de ponta, especialmente na área de segurança pública nos estados. Todos terão que retornar às suas funções, desarmando equipes, atingindo estruturas administrativas e prejudicando algo que é tão importante nos dias de hoje que é segurança pública”, argumentou Cardozo.

PGR

Para o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, a nomeação de membros do MP para cargos em outros poderes não conflita com a independência do órgão.

“No caso específico, na visão do MP, não há possibilidade de violação da independência institucional pelo fato do membro exercer função de forma temporária e mediante prévio afastamento por órgão interno competente”, disse Janot.

Liminares

Antes da decisão do Supremo, a juíza Solange Salgado de Vasconcelos, da 1ª Vara Federal de Brasília, atendeu, na última sexta-feira (4), a uma ação do deputado federal Mendonça Filho (DEM-PE) e suspendeu a nomeação do ministro.

Após a decisão, o presidente do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, desembargador Cândido Ribeiro, atendeu a pedido da Advocacia-Geral da União (AGU) para suspender a liminar.

Agência Brasil

Ministério Público de SP denuncia ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva por quatro crimes

ESPOSA DO EX-PRESIDENTE, MARISA LETÍCIA TAMBÉM FOI DENUNCIADA. (FOTO: RICARDO STUCKERT - INSTITUTO LULA

ESPOSA DO EX-PRESIDENTE, MARISA LETÍCIA TAMBÉM FOI DENUNCIADA. (FOTO: RICARDO STUCKERT – INSTITUTO LULA

 

O Ministério Público de São Paulo (MP-SP) denunciou à Justiça, nesta quarta-feira (9), o ex-presidente Luiz Ináco Lula da Silva por crimes de estelionato, falsidade ideológica, organização criminosa e lavagem de dinheiro na aquisição de um triplex em Guarujá, no litoral paulista.

Se a denúncia for aceita pelo Tribunal de Justiça de SP, o ex-presidente passa a ser réu na ação penal. Ao todo, a denúncia do MP-SP é contra 16 pessoas. Entre elas, estão a esposa de Lula, Marisa Letícia,e um dos filhos do casal, Fábio Luís Lula da Silva ( Lulinha), que foram denunciados pelos crimes de falsidade ideológica e lavagem de dinheiro. eles seriam beneficiários do triplex.

Lula diz que não é dono do imóvel e nega todas as acusações. O caso segue sob segredo de justiça. A defesa do ex-presidente divulgou nota criticando a atuação do autor da denúncia, promotor de Justiça Cássio Roberto Conserino. Confira a nota na íntegra:

Nota

A denúncia do Ministério Público de São Paulo contra o ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi antecipada no dia 22 de janeiro à revista Veja pelo promotor de Justiça Cássio Roberto Conserino, antes, portanto, da conclusão do procedimento investigatório. Hoje, Conserino apenas formalizou o resultado, deixando claro que a apuração não foi isenta, decorrendo tão somente da parcialidade e da intenção deliberada de macular a imagem de Lula, imputando crime a pessoa que o promotor sabe ser inocente.

Conserino transformou duas visitas a um apartamento no Guarujá em ocultação de patrimônio. A família do ex-Presidente Lula nunca escondeu que detinha uma cota-parte de um empreendimento da Bancoop, tendo solicitado o resgate desta cota no final de 2015.

O promotor responde a sindicância disciplinar no MP-SP, que é acompanhada pelo CNMP, justamente por ter antecipado o resultado antes de ter chegado ao fim das investigações.

A conduta de promotor apenas confirma que o MP-SP e o MPF estão investigando os mesmos fatos, apontando a necessidade de o STF decidir sobre qual órgão do MP tem competência para tratar do assunto.

Cristiano Zanin Martins

 

Compartilhe